Operação Bota-Fora da Baía de Guanabara: setembro de 2012

Nossa petição no Avaaz foi encerrada hoje, 5 de Setembro de 2012. De acordo com o conteúdo apresentado pelo subsecretário da SEA, Luiz Firmino, no auditório da FIRJAN no dia 30 de agosto, uma de nossas demandas foi atendidas e a outra parcialmente atendida.

A primeira demanda:

1) Até que estudos mais conclusivos sobre o melhor destino para os dejetos dragados fiquem completos, que o novo ponto para despejo seja no mínimo a 50m de profundidade, ao sul da linha de latitude -23° 6′ 55.44″ e sobre uma área já utilizada para despejo de material dragado no passado (ou seja, uma área já impactada).

Os estudos serão feitos, e o novo ponto se encontra ao sul da linha de latitude designada, mas infelizmente a área escolhida não é uma área já impactada. Isso talvez se deva ao fato de não existir uma área já impactada ao sul da linha designada.

A terceira demanda:

3) Se comprometam em separar todo o lixo do material dragado e depositar esse lixo em terra.

O Subsecretário afirmou que sistema de filtragem de lixo será melhorado.

A segunda demanda ainda está para ser atendida:

2) Disponibilizem para acesso público, através da Internet, o movimento dos navios-draga envolvidos na operação, incluindo dados sobre quando e onde são abertas as cisternas que carregam o material dragado. Além disso, todos os dados e documentos relacionados aos diversos tipos de monitoramento (pré, durante e pós despejo) conduzidos pelos órgãos envolvidos devem ser disponibilizados para o público interessado.

O pedido de acesso foi encaminhado à secretaria. Aguardem updates.

Vale a pena lembrar que já foram feitos dois estudos independentes, executados por profissionais idôneos e sob tutela da UFF e UFRJ, sobre os materiais dragados da Baía para o oceano. Ambos estudos concluíram que, pelo menos no que diz respeito à contaminantes regulados pelo CONAMA, os dejetos apresentam níveis abaixo dos limites permitidos, apesar do CONAMA não regular lama, lodo ou lixo.

Leave a Reply